Ascensão e Queda do Império X

Quer dar uma espiada no livro? Clique AQUI.

Ascensão-maisvendidos

Ascensão-Exame

BREVES COMENTÁRIOS AO LIVRO DE SERGIO LEO, ASCENSÃO E QUEDA DO IMPÉRIO X

ESCRITO POR ARMANDO CASTELAR.

Ivar Kreuger foi um gênio financeiro do início do século XX.  Nascido na Suécia, em 1880, herdou dos pais duas fábricas de fósforos, que transformou em um quase monopólio global. Um dos homens mais ricos do mundo à sua época, tornou-se também um dos mais influentes, emprestando dinheiro para os governos europeus falidos após a I Grande Guerra. Em 1932 Ivar Kreuger se suicidou em sua casa em Paris. Nos meses seguintes se descobriu que o seu império era um castelo de cartas, uma grande pirâmide internacional. Muita gente perdeu dinheiro investindo em seus negócios.

A primeira referência que vi sobre Ivar Krueger foi na edição de fim de ano da The Economist (http://econ.st/1l5LEH6), em 2007. Naquela época comentei com amigos como podíamos saber se Eike Batista, que expandia seu próprio império a uma velocidade alucinante, com dinheiro de terceiros, não era um novo Ivar kreuger. A reação foi a pior possível. Como lembrei depois, tínhamos todos no grupo um amigo comum com importante posição no grupo X.

Lembrei-me dessa história neste fim de semana, lendo o bom livro de Sergio Leo, “Ascensão e Queda do Império X” (Ed. Nova Fronteira, 2014). O livro, basicamente, desconstrói a imagem de Eike Batista. O livre se lê bem, com linguagem direta, bom ritmo, e capítulos bem encadeados uns nos outros. Dá para ler numa varada só. É uma leitura útil para quem quer acompanhar as notícias sobre o empresário que circulam na imprensa.maisvendidoascensãoO livro começa com Eike aos 12 anos e o segue até hoje. Mas não se trata de uma biografia, é mais um documentário do sua carreira. É, em especial, um contraponto ao livro do próprio Eike, “O X da Questão”. O fascinante é que o livro se baseia principalmente em informações públicas, mas pouco disseminadas, em alguns casos por exigirem alguma pesquisa. Sergio Leo também entrevistou ex-colaboradores e pessoas que tiveram contato com o empresário, mas isso sustenta principalmente a descrição de aspectos mais pitorescos sobre os hábitos do empresário.

Mas o livro não é só sobre Eike Batista. É também sobre o lado menos vistoso do capitalismo brasileiro. Sobre a importância dos incentivos fiscais, do crédito público subsidiado, das compras camaradas por empresas estatais. E, principalmente, sobre a importância dos contatos, daqueles que o empresário herdou do pai e daqueles que construiu por si mesmo.

O livro mostra, porém, que é preciso mais do que só apoio governamental. Eike Batista, como Ivar kreuger um século antes, era um grande vendedor. Com isso, convenceu inúmeras empresas privadas a apostar nos seus planos. Multinacionais, bancos privados, fundos de investimento, todos colocaram dinheiro nos seus projetos. Ganhou quem entrou cedo e saiu igualmente cedo.

A maioria dos investidores que financiaram Ivar Kreuger eram americanos, e a descoberta de que o empresário fora capaz de enganar tantos por tanto tempo estimulou a reforma das regras do mercado de capitais americano, em especial o Securities Act de 1933. O livro defende que a debacle do Império X, em especial os acontecimentos envolvendo a OGX, deveriam levar ao mesmo tipo de reforma nas regulações e autorregulações (no caso, da Bovespa) no Brasil. Como eu, o autor não se mostra muito esperançoso de que isso ocorra.

Olhando para o futuro, um ponto importante é que nem todos os investimentos de Ivar Kreuger naufragaram com ele. A Ericsson e algumas empresas de fósforos estão aí até hoje. É provável que o mesmo ocorra com algumas das empresas de Eike Batista, sob nova administração e com novas infusões de capital.

Por fim, o que a história de Ivar Kreuger mostra é que a ascensão e queda do Império X não foi a primeira vez, e nem deve ser a última, em que a euforia com retornos elevados e riscos supostamente baixos dá origem à dura realidade de que não há almoço grátis.

eiketribuna

 

Livro explica a derrocada do império de Eike Batista” Leia AQUI

Livro desconstrói os mitos da “Ascensão e Queda do Império X“. Leia AQUI..

Eike foi um ilusionista“. Leia AQUI.

 

MERCADO FINANCEIRO

APRENDA COM O ERRO DOS OUTROS: O CASTELO DE AREIA DE EIKE BATISTA

14/11/2014 Post original, AQUI.

ASCENSÃO E QUEDA DO IMPÉRIO X
Sergio Leo
Editora Fronteira
Arrancou a máscara do Eike Batista, botou fogo nela, reciclou o material e transformou em livro.

Esse vale ainda mais a pena depois que você ler “O X da Questão”.

No X da questão, o Eike conta, em primeira pessoa do singular (isso, sem incluir seus sócios, diretores e investidores), porque as empresas dele valiam bilhões de dólares e porque ele é o cara mais foda e pica das galáxias que apareceu no universo nos últimos 100 anos.

eike4

Sim, ele escreveu o livro lá pelos idos de 2009, quando ele era o homem mais rico do Brasil e havia feito a promessa de que ultrapassaria o mexicano Carlos Slim no topo da lista de bilionarios da Forbes.

O autor Sergio Leo pega tudo o que está escrito na autobiografia de Eike, faz uma pesquisa minuciosa de investigador do FBI e desmascara ítem por ítem.

É sensacional o trabalho de pesquisa que o cara fez sobre os negócios mal-executados do Eike na era pré-EBX, sobre a vida pessoal do cara e sobre suas maiores fraquezas de personalidade.

O livro mostra que o Eike tinha aquela confiança fora do normal e falava sempre em exageros porque, no fundo no fundo, ele era muito inseguro por dentro. Como todos nós.

Inseguro por ter passado toda sua vida à sombra de seu pai Eliezer Batista (esse sim, foi um cara foda e importantíssimo para a história econômica do Brasil).

Depois que saiu da sombra de seu pai, passou a ser conhecido como o “marido da Luma de Oliveira”.

Esse livro me tocou especialmente por dois motivos:

1) Perdi um dinheiro brabo investindo em empresas como OGX, MMX e LLX porque acreditei nas promessas megalomaníacas de todos os PowerPoints das empresas do grupo EBX cotadas em bolsa. Reconheço que era fãzasso do Eike, como a grande maioria de seus empregados, realmente acreditava em sua visão para o Brasil.

2) Vi de perto, quase como um insider, a queda do Império X.

De 2011 e 2013, trabalhava na área de análise de um grande banco em Nova York e focávamos nos mercados latino americanos.

As bolsas da região estavam derretendo graças a desconfiança gerada por um certo executivo brasileiro que fez altas promessas megalomaníacas, não concretizou nem 5% do que prometeu eesgotou a paciênia dos investidores internacionais com o Brasil.

Já que ninguém queria investir no Brasil com medo de acontecer algo parecido, a fonte secou e nós no banco sentimos na pele.

O banco teve que enxugar o time de Brasil e eu fui mandado embora de meu super emprego em Nova York (conto mais sobre essa história no meu terceiro livro WALL STREET que chegará ao Amazon em breve).

Esse livro é um manual de business.

Apesar de ser escrito em tom crítico e negativo, dá para “read between the lines” e tratá-lo como uma obra de auto ajuda.

Dá para aprender muito mas muito sobre negócios e até sobre psicologia através das críticas que o autor faz à atitude do Eike.

Me lembrou muito de uma lição que aprendi do André Esteves, presidente do Banco BTG Pactual e um dos executivos que eu mais respeito no mundo inteiro.

Num bate papo, ele recomenda todo mundo a arriscar alto e COMETER SEUS PRÓPRIOS ERROS, NÃO O ERRO DOS OUTROS.

Sim, é por isso que é bom aprender história e ler muito: assim a gente estuda o que deu certo e o que não deu. Se quiser, fala comigo que eu te passo o vídeo de uma entrevista que o Esteves elabora sobre essa idéia de cometer os próprios erros.

Vale a leitura! Vale muito!

 

Ascensão e Queda do Império X – Sergio Leo

Livro bastante oportuno sobre a derrocada daquele que já foi o homem mais rico do Brasil. O livro é muito interessante, pois mostra que Eike Batista é um megalomaníaco movido apenas por vaidade, sendo justamente isso que quebrou o seu império.

Com certeza essa livro e essas informações adicionais que publiquei nesta resenha aumentarão sua educação financeira, fazendo você querer pesquisar a fundo antes de investir em uma empresa sem histórico de operações e que só porque uma pessoa se veste bem, é bom de papo e opera um grupo de empresas avaliado em bilhões de dólares, não significa que ele saiba o que está falando e fazendo.

Conclusão Final: Recomendado

Ficha Técnica

Título: Ascensão e Queda do Império X
Autores: Sergio Leo
Editora: Nova Fronteira
Número de Páginas: 264
Ano de Lançamento: 2014
Link para comprar

A resenha do Gabriel, com vídeo de educação financeira e links sobre material a repeito do Eike publicado depois, AQUI.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s